Quatro anos de Campus Party

 

Foto: Mario Miranda/Agência Foto

 

por Andréa Beer

Como você marca um chopp com seus amigos? Nove entre dez jovens responderiam que usam o Facebook ou o Twitter. Porém, se a pergunta fosse feita quatro anos atrás, quando a Campus Party estreou no Brasil, a resposta certamente seria outra. O conceito de interação digital e mobilidade ainda eram incipientes e os instrumentos de social media, pouco utilizados. Mesmo assim, em 2008, o Brasil foi palco da primeira Campus Party na América Latina, evento de cultura digital criado em 1997, em Valencia, na Espanha. Rapidamente, a Campus Party Brasil consagrou-se como a maior do mundo, ultrapassando Espanha, México e Colômbia em número de participantes.

Entre os dias 17 e 23 de janeiro, cerca de 6.500 campuseiros mudam-se para o Centro de Exposição Imigrantes, em São Paulo, com seus computadores, malas e barracas para dentro de uma arena, onde se conectam a uma rede de alta velocidade e participam de uma ampla programação de oficinas, palestras, conferências, competições e atividades de lazer. Muito mais do que um encontro, a Campus Party é um laboratório de tendências, onde impera o debate e a colaboração. Palestras como a do Al Gore, ex-vice-presidente americano, dividem a atenção do público com competições entre os campuseiros, seja pela melhor ideia ou mesmo pela melhor disputa de Rock Band. Mesmo quem não é aficcionado por tecnologia, acaba se surpreendendo com o ambiente, os computadores tunados e as discussões. O evento é fechado, porém tudo pode ser acompanhado ao vivo pelo www.campusparty.org. Outra opção é visitar a área Expo, aberta ao público, ou ainda conferir os vídeos produzidos pela MVox e MWeb para o canal da Telefônica no Youtube: http://www.youtube.com/telefonicanaweb.