Evento para o site O Pequeno Leitor

 

Confira algumas fotos do evento de divulgação do site O Pequeno Leitor, encontro promovido pela Máquina no último dia 20.

*Crédito: Patricia Cecatti

 

Contação de Histórias
Apresentação do site por Stela Loducca

  

Oficina de livros

Ambiente

Maristela Mafei e Celso Loducca

Anúncios

Pequenos Leitores

 

 

Foto: Patricia Cecatti

 

* Marcella Pinheiro e Larissa Purvinni

 

Como incentivar a geração que já nasceu conectada à internet a ler? Pensando num modo de resolver esse dilema, a publicitária Stela Loducca criou o site O Pequeno Leitor. No site, as crianças podem ler histórias criadas por ela e ilustradas pelo premiado  Renato Moriconi, em animações que fisgam a atenção dos pequenos fãs de desenhos animados. Para os que ainda não estão completamente alfabetizados, há histórias com narração e histórias com imagens, sem texto. Os que estão ganhando intimidade com as letras podem seguir lendo o texto e, volta e meia, deparam com palavras em destaque. Ao clicar nelas, surge o significado, ampliando o vocabulário.

No último sábado, dia 20, evento realizado pela Máquina PR na Casa do Saber (unidadeJardins), em São Paulo, reuniu jornalistas e formadores de opinião cujo ponto comum, além do amor pela leitura, eram os filhos entre 3 e 8 anos, idade alvo do site. As crianças participaram de uma animada oficina de livros, criando suas próprias histórias e desenhos, e assistiram a uma apresentação teatral baseada na história “Dudu e a Caixa”, escrita por Stela.

A apresentação do site, inicialmente voltada para os pais, também interessou às crianças, que não tiraram os olhos do telão onde foi projetada a história “A Lobinha Ruiva”, escrita por Stela em homenagem ao filho, que se tornou vegetariano. A história é uma versão de Chapeuzinho Vermelho em que caçador é o vilão que se redime ao ir morar na floresta com os animais e deixar de comer carne. O pequeno público pôde se cadastrar no site _o cadastro é gratuito_ e navegar nas histórias durante o evento.

Logo após, o encontro, vários jornalistas recomendaram o site em suas páginas no Facebook e blogs. Além de formar novos leitores, o site incentiva os pequenos a escreverem suas próprias histórias, que são enviadas ao e-mail dos pais e, depois de liberadas, ficam à disposição para quem quiser ler. As crianças que participaram do evento, não perderam tempo. Filho de jornalista…

Ação e Reação

Foto: Divulgação

Por Luís Ferrari

No início da temporada da Nascar deste ano, a equipe MSports propôs ao piloto Nelsinho Piquet, cliente da unidade, a realização de press trips para jornalistas brasileiros.

A ideia era simples. Para uma efetiva comunicação desta nova etapa da carreira do brasileiro, não bastava registrar seu desempenho nas pistas ovais americanas. Era necessário mostrar a seletos formadores de opinião da mídia brasileira o conceito e os valores da categoria –uma potência nos EUA mas virtualmente desconhecida no Brasil.

Como resumimos em post publicado em 25 de março neste mesmo blog da Máquina, a meta era “mostrar que 400 curvas para esquerda (e nenhuma para direita) são um grande barato”.

Quatro meses mais tarde, temos a satisfação de perceber que tal ação começa a surtir efeito.

A partir do interesse provocado pelas reportagens geradas nas press trips do primeiro semestre, Nelsinho Piquet e a Nascar despertaram interesse do “Expresso do Esporte”, uma das mais relevantes atrações televisivas sobre atletas na mídia esportiva brasileira.

No início de maio, a produção do programa entrou em contato com a MSports com o intuito de enviar uma equipe de reportagem para realizar nos EUA uma longa entrevista com Nelsinho Piquet.

O resultado está aqui: http://sportv.globo.com/site/programas/expresso-do-esporte/noticia/2011/07/ainda-em-adaptacao-nelsinho-piquet-promete-se-estabelecer-na-nascar.html

Mas não foi só.

Já nos EUA, articulamos também a realização de uma visita guiada da equipe do Sportv ao Hall da Fama da Nascar. A ideia era que eles tivessem material de apoio para cobrir com imagens a entrevista do Nelsinho. Mas a pauta rendeu tanto que virou outro programa: http://sportv.globo.com/site/programas/expresso-do-esporte/noticia/2011/07/hall-da-fama-da-nascar-veja-carros-antigos-simuladores-e-curiosidades.html

Máquina na Copa América da Argentina

Confira algumas fotos feitas pela equipe da Máquina na Copa América da Argentina.

*Crédito: Sergio Llamera

Comemoração do gol brasileiro - Brasil x Paraguai

Messi - Costa Rica x ArgentinaTreino da Seleção BrasileiraLuís Ferrari (MSports) entrevistando Erich Bandeira, árbitro brasileiro

 

Treino da Seleção Brasileira

Luís Ferrari (MSports) entrevistando Erich Bandeira, árbitro brasileiro

 
 

Equipe da Máquina

 

Torcedor argentino

 
 

Suri - Mascote da Copa América 2011

 

Torcida brasileira

Larissa Riquelme - Modelo paraguaia

 

Cafu

Treino da Seleção Brasileira

 

 

A Copa América e a Copa no Brasil

Foto: Sergio Llamera*

Por Luís Ferrari

O noticiário nacional tem dado destaque diariamente aos preparativos para a Copa de 2014 e como o evento tem a possibilidade de destacar a posição do Brasil no cenário internacional. Com a presença de relevantes figuras do mundo internacional do futebol, o sorteio das chaves das Eliminatórias, realizado no Rio de Janeiro no último final de semana, deu uma boa amostra do frisson que a Copa no Brasil já provoca.

E esse espírito não atinge apenas os engravatados dirigentes que vimos no evento da Marina da Glória no sábado. O torcedor comum, aquele que vai ao estádio com a camisa e a bandeira de seu país para gritar pela seleção nacional, também já está contagiado pelo clima da Copa de 2014. Isso ficou bem claro na Copa América, realizada no mês de julho em gramados argentinos.

Desde 1978, quanto o Mundial foi disputado na Argentina, o apaixonado torcedor sul-americano precisou deixar seu continente para torcer no principal evento do futebol no mundo. Para nossos vizinhos, em 2014, ele acontece “ao lado”. E tem muito mais atrativos a oferecer que 90 minutos de bola rolando. Como resumiu Sergio Gendler, veterano jornalista argentino do Canal 13: “A seleção argentina provavelmente vai jogar em Porto Alegre e em outras sedes do Sul. Mas eu adoraria cobrir a Copa no Nordeste e aproveitar as praias de lá”.

Em parceria com o escritório do Grupo Máquina em Brasília e com a Llorente y Cuenca, agência de relações públicas sediada em Buenos Aires, a MSports esteve na Copa América da Argentina para divulgar, para a Embratur, os destinos turísticos a serem trabalhados em virtude da Copa de 2014. A agência de notícias da Embratur esteve inserida dentro da diretriz da empresa, de amplificar o turismo no Brasil com gancho nos megaeventos esportivos que serão realizados aqui.

Ao longo de um mês de trabalho na Argentina, a equipe da agência entrevistou jogadores, torcedores, voluntários, jornalistas, ex-jogadores e até um juiz de futebol. A ideia era motivá-los a falar do interesse turístico nas cidades-sede da Copa de 2014 e cercanias.

O destino mais citado foi o Rio –muitas vezes acompanhado de brincadeiras de torcedores argentinos e uruguaios sobre um novo “Maracanazo” –, o que já era esperado pela tradição da cidade como destino e por ser o palco da final da Copa de 2014. Mas foram mencionadas (mais de uma vez) todas as demais sedes do evento e arredores. “Seria lindo o Japão estrear no primeiro jogo da história das Copas em ambiente amazônico, jogando em Manaus.” O desejo, manifestado pelo jornalista Daisuke Yamamoto, enviado especial da NHK à Copa América, ilustra bem até onde chega o interesse na Copa de 2014 –e que isso atinge o Brasil como um todo, de Norte a Sul.

* Copa América 2011 – Torcedor no jogo Brasil x Paraguai