Grupo Máquina PR acompanha a Semana Global de Empreendedorismo

Por Leonardo Souza

 

A Endeavor abre, hoje, a partir das 15 horas, a Semana Global do Empreendedorismo, no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo. Até o dia 18 deste mês, 125 países participam da SGE, que é o maior movimento mundial em prol do empreendedorismo. O Grupo Máquina, além de ser a agência de PR da Endeavor e responsável por toda estratégia de divulgação da Semana, é também embaixador do movimento.

 

A abertura contará com a participação de nomes como José Pastore, especialista em Relações do Trabalho, Emprego e Desenvolvimento Industrial; Marcos Montes Cordeiro, Deputado Federal; William Eid, professor da FGV; Gilberto Dimenstein, jornalista; Luiza Helena Trajano , CEO do Magazine Luiza; Preto Zezé, presidente da Central Única das Favelas (CUFA), entre outros.

 

Com o tema “Por um Brasil mais empreendedor!”, a Semana deste ano pretende despertar e lapidar o espírito empreendedor e trazer discussões acerca dos seis pilares da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE): Ambiente Regulatório, Mercado, Acesso a Capital, Inovação, Capacitação e Cultura. O objetivo é fazer com que o povo brasileiro possa compreender melhor os desafios que vão surgir no caminho de um empreendedor.

 

A programação completa está disponível no site  (www.semanaglobal.org.br). Os interessados podem selecionar as atividades de acordo com cidade e estado, temas de interesse, entre outras características. E o melhor, a maioria é gratuita!

 

O evento de abertura contará com cobertura via Twitter da Máquina e também será transmitido, ao vivo, no site da Endeavor (www.endeavor.org.br ).

 

Foto do evento sobre economia criativa, no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo, que faz parte da Semana Global do Empreendedorismo

 

 

Uma Carreira Empreendedora

   

Mauro Terepins fala aos colaboradores do Grupo Máquina

 

*Por Daniela Braga

 

Muitas pessoas falam sobre empreendedorismo e entendem do tema, mas na última quinta-feira, 08 de março, o Grupo Máquina recebeu em sua sede em São Paulo um dos executivos que mais entendem do assunto: o vice-presidente da Ernst & Young Terco, Mauro Terepins.

 

Durante mais de uma hora o executivo apresentou para os colaboradores uma série de exemplos e desafios sobre o tema. Logo no início da palestra, Mauro falou sobre a sua trajetória e de algumas dificuldades que teve para montar seu próprio negócio.

 

Após trabalhar durante algum tempo para a empresa da família, ele decidiu montar a sua própria na década de 80. Mesmo sendo um momento econômico difícil, durante a grande recessão, ele contou que assumiu o risco e de forma simples, sem capital e em uma sala alugada, começou a oferecer serviços de consultoria para pequenas e médias empresas. “Quem começa assim cresce”, comentou e acrescentou: esta é a oportunidade de exercer todas as funções de uma empresa.

 

Apesar de pouco capital financeiro que possuía o mais importante, segundo ele, ainda era o capital intelectual e o relacionamento. Sobre isso, inclusive, Mauro foi enfático e destacou a importância do networking para qualquer profissional, “o bom relacionamento passa a ser o capital mais importante de uma carreira”.

 

Ao longo da conversa, o executivo pontuou os principais passos de um empreendedor de sucesso:

 

  • Não ter medo de risco: o empreendedor sabe trabalhar com o risco, administra o risco;
  • Ser arquiteto da sua própria visão: o empreendedor não pode apenas focar em modelos, terá sucesso se for apaixonado por seu próprio modelo;
  • Construir seus valores, metas e objetivos: o ato envolve risco
  • Jogar em equipe;
  • Enxergar na dificuldade a oportunidade;
  • Ter o produto certo no mercado certo: conhecer a natureza do cliente;
  • Montar uma equipe que “trabalhe com você e não pra você”;
  • Escolher para sua equipe pessoas ocupadas, ativas e responsáveis;
  • Ter lealdade e transparência com a equipe;
  • O empreendedor não pode errar sozinho: a importância do trabalho em equipe;
  • Aprender com o erro: para o empreendedor as derrotas fortalecem e não derrubam.
  • O empreendedor precisa abrir seu mundo: conhecer de cultura, política, mercado;
  • Compartilhar o sucesso com a equipe: reconhecimento motiva;
  • Ter um diálogo aberto com a equipe;
  • Inovação

 

Mauro Terepins, Vice-Presidente da Ernst & Young Terco

 

 

O risco, a oportunidade, a fusão

 

Um dos pontos mais importantes para o sucesso profissional de Mauro foi justamente num momento difícil. Ele contou que, durante o golpe do Plano Collor a Terco perdeu 15% de seus clientes, para cobrir a folha de pagamento da empresa ele teve de usar sua poupança pessoal, assim assumia um risco grande, mas garantia a confiança de seus colaboradores.

 

Diante da dificuldade, a empresa se antecipou e organizou um seminário para seus clientes com dicas de como reagir diante do Golpe da Poupança e assim recuperou metade de seus clientes. Com isso, o diferencial de se antecipar, a rapidez e a eficiência na solução dos problemas proporcionavam cada vez mais credibilidade para a empresa.

 

Seguindo um dos passos mencionados acima, Mauro conta que na empresa os desafios eram trabalhados como oportunidades, potencializando o que era desprezado por outras consultorias. E em meio aos problemas, ele enxergava as dificuldades como provocações positivas diante do senso de vender, pois considera que com a competitividade do mercado, o bom empreendedor precisa sempre se destacar oferecendo mais e melhor.

 

Ainda exemplificando outro grande momento de sua trajetória, o executivo explicou como ocorreram os diálogos para a fusão com a consultoria britânica Ernst & Young. Ele contou que no inicio a Terco resistiu à fusão, mas percebeu que o crescimento exigia esta inovação.

 

A partir então da fusão, que colocou a Ernst & Young como a segunda colocada no mercado, o risco resultou na maior negociação de auditorias da história. De forma geral, a união das empresas foi um ator empreendedor, que ampliou os campos de atuação das duas consultorias que juntas demonstram que o sucesso empreendedor exige esta tal ousadia.

 

Como lição final, Mauro comentou ainda sobre a pressa que os jovens têm em alcançar o sucesso, além da aversão ao risco e acrescentou que o verdadeiro empreendedor não pode temer o risco, do contrário nunca o transformará em potencial produtivo. Ele destacou também a importância da boa comunicação para o sucesso nos negócios, apontando a comunicação eficiente como uma vantagem competitiva para as grandes empresas, pois na maior parte das vezes é feita de forma errada.

 

Maristela Mafei agradece a presença de Mauro no Ciclo de Treinamentos 2012 do Grupo Máquina